Diana

Diana é a Deusa da Lua e da caça, filha de Júpiter e de Latona, e irmã gêmea de Apolo, Diana é muito ciosa de sua virgindade, Júpiter forneceu-lhe um séquito de sessenta oceânidas e vinte ninfas que, como ela, renunciaram ao casamento. Indiferente ao amor e caçadora infatigável, Diana era cultuada em templos rústicos nas florestas, onde os caçadores lhe ofereciam sacrifícios. Na mitologia romana, Diana era deusa dos animais selvagens e da caça, bem como dos animais domésticos.

Deusa da caça e a mais pura e casta das divindades, sempre foi uma fonte inesgotável da inspiração dos artistas, ela é, ao mesmo tempo, nobre e bela, severa e elegante, ofuscando com sua presença todas as ninfas que compunham o seu séquito, adorada também como Potêmia, nas proximidades das fontes e dos rios, recebia uma veneração especial por parte dos camponeses, que a consideravam divindade protetora dos campos, favorecendo a multiplicação das espécies animais e vegetais, seu pai a presenteou com arco e flechas de prata, além de uma lira do mesmo material, tudo obra de Vulcano, o Deus do fogo e das forjas, que sendo um dos muitos filhos de Zeus é, portanto, irmão de Diana. É costume da Deusa banhar-se nas águas cristalinas das fontes, certa fez, quando fazia isso, foi surpreendida pelo caçador Acteon, que passava por acaso com seus cães pelas redondezas e para ali se dirigiu a fim de saciar a sede, por isso foi transformado em veado e acabou vitimado pela voracidade da própria matilha. Uma outra história conta que tendo ela se apaixonado pelo jovem Orion, decidiu casar-se com ele, apesar do voto de castidade que havia feito, mas seu irmão Apolo impediu o enlace praticando uma grande perfídia: como estava com ela em uma praia, desafiou-a a flechar um ponto negro que mal se distinguia na água, devido à grande distância em que se encontrava. Diana prontamente retesou o arco e atingiu o alvo, que afundou deixando espumas ensangüentadas na superfície do mar, era Orion que ali nadava, ao saber do desastre, Diana, cheia de desespero, conseguiu, do pai, que a vítima fosse transformada em constelação.

Diana

2 thoughts on “Diana

Deixe um comentátio!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s